As empresas de hoje procuram cada vez mais pela “transformação digital”, como uma estratégia para criar oportunidades de crescimento do negócio. Esse conceito de digitalização do negócio, porém não é algo novo. A introdução da digitalização começou há algumas décadas, quando as empresas começaram a incorporar a computação em suas operações comerciais.

Naquela época, o “gerente de TI” era um tecnólogo com duas responsabilidades principais: entregar novos sistemas de TI e realizar a manutenção de sistemas atuais em um alto nível de confiabilidade. À medida que os projetos cresciam e aumentava a necessidade de aplicar tecnologia nos processos de negócios em grande escala, como finanças e ERP, ficou claro que era necessário um gerente de TI que não fosse apenas um tecnólogo, mas que também tivesse percepção comercial e capacidade de comunicação efetiva em toda a organização. Foi nesse contexto que surgiu o CIO.

Desafios para o CIO tradicional

Mais recentemente, uma onda inteiramente nova de ruptura digital vem emergindo. São vários os desafios que os novos CIOs enfrentam. Essa nova era envolve dados, nuvem, segurança e gerenciamento de habilidades.

Surgiram diversas tendências que têm em comum uma explosão de imensas quantidades de dados. Como por exemplo, o rápido crescimento em BYO: espera-se que haja 7,3 bilhões de dispositivos pessoais em 2020.

Em conjunto com o crescimento da Internet das Coisas (IoT), prevê-se que sejam 30 bilhões de pontos finais até 2020. Com o rápido crescimento da geração de pontos de terminação de dados, prevê-se que haverá 163ZB (zettabytes) de dados criados em 2025.

Para ganhar alguma perspectiva sobre a magnitude de um volume tão grande de dados, todas as palavras já faladas na Terra poderiam ser armazenadas em 5 “exabytes” (o exabyte é igual a 10 para a 18ª potência). Um zettabyte é igual a 10 para a 21ª potência (ou 1000 Exabytes).

Esta explosão de dados com o aumento da mobilidade e da IoT está contribuindo para o que se chama de 4ª revolução industrial. Esta 4ª revolução industrial nada mais é do que uma fusão de tecnologias, que está atenuando os limites físicos entre as esferas digitais e biológicas.

Isso traz as possibilidades de bilhões de pessoas conectadas por dispositivos móveis ou pontos de extremidade do IoT, desfocando as linhas entre os mundos físico e virtual e digital e não digital. Além disso, as mídias sociais evoluíram para permitir um envolvimento muito mais íntimo com os clientes, fornecendo grandes quantidades de dados sob a forma de insights em tempo real. Como gerenciar esses dados para obter o valor máximo de benefício e valor é um desafio exclusivo para o CIO moderno.

A 4ª revolução industrial na nuvem

Atualmente, as empresas têm à sua disposição diferentes e muitas opções de nuvem privadas e públicas. A solução, muitas vezes, é a adoção de nuvens híbridas, ou seja, uma combinação entre nuvens públicas e privadas. Com essa estratégia, os CIOs conseguiram diminuir os custos operacionais globais de TI.

São muitos os exemplos de empresas que adotaram esse tipo de modelo.

Há aproximadamente um milhão de ciber-ataques lançados todos os dias. Estima-se que 28% dos CIOs já tiveram que responder a uma grande ameaça à segurança de TI ou ataque cibernético nos últimos 2 anos.

Os dados das empresas estão comprometidos com hackers acessando a informação pessoal de até 145 milhões de pessoas. Os ataques de segurança sob a forma de guerra cibernética e espionagem governamental e corporativa também são cada vez mais comuns. O gerenciamento da segurança precisa evoluir além dos firewalls tradicionais e dos programas anti-vírus para fornecer a proteção necessária.

No meio de todas essas mudanças, a capacidade de encontrar e manter uma equipe de TI qualificada para enfrentar esses desafios tornou-se um grande desafio para o CIO de hoje. Impressionantes 65% dos CIOs informam falhas de habilidades que os impedem de executar iniciativas diversas.

Além da dificuldade em encontrar o talento com as novas habilidades necessárias para enfrentar os modernos desafios do data center, 89% dos CIOs também estão preocupados com a forma de reter o talento que eles têm na equipe hoje.

As empresas precisam investir treinando profissionais de TI, mas isso ainda está muito aquém do que é necessário para enfrentar a crescente complexidade. O CIO Moderno – tradicional e transformador – enquanto mantém os papéis tradicionais dentro da TI de gerenciar os custos e apoiar o negócio, também é encarregado de criar valor para o negócio e gerar novas receitas. Para 67% dos CIOs, sua influência estratégica continua crescendo, com 34% deles reportando diretamente ao CEO e 57% posicionados em um conselho executivo.

O CIO esperava gerir e otimizar as aplicações e as infraestruturas tradicionais, ao mesmo tempo em que funciona como um estrategista – gerando inovação e criando valor. Os blocos de construção de TI que utilizam o Dell EMC PowerEdge 14G são importantes pontos de alavancagem para componentes tradicionais e transformadores do sucesso do CIO moderno.

Gerenciamento de custos versus criação de valor

Tradicionalmente, TI respondia ao departamento de CFO / Finanças – em parte porque os primeiros aplicativos de TI eram financeiros. Com o foco da TI em planos, projetos e despesas – precisava existir uma justificativa e um controle regular de custos para essas atividades, com medições de ROI claras. O CIO tradicional teve um foco forte na gestão de custos com TCO, sendo uma métrica chave para a eficácia do gerenciamento de TI.

Nos últimos anos, o “custo TI” vem se deslocando cada vez mais para fora da organização formal. O Gartner reconheceu que pelo menos 29% do investimento em TI está fora da organização.

O negócio em si está participando do orçamento total de TI, com um novo foco em criar valor e receita.

Com a nova onda de transformação digital, a organização de TI tem se movimentado diretamente de suas fundações dentro de um centro de custo para um centro de estratégia de negócios que gera lucro. Hoje, 37% dos CIO ainda veem o foco principal em economizar dinheiro, mas 63% viram seu foco principal mudar para gerar receita.